PAUSA PARA OS COMERCIAIS

25/05/2010

Aqui e aqui, dois comerciais muito, muito bons sobre a Copa do Mundo.

Quando o assunto é publicidade inteligente, que sabe mexer com os sentimentos do torcedor sem apelar para bobagens, levamos um banho dos argentinos.


VISITA AO DUI

16/05/2010

Por sugestão de um casal de amigos, estivemos pela primeira vez no Dui.

Quando o nome do restaurante chegou via sms, minha primeira impressão foi “nunca fui, mas já li algo a respeito”.

Eu mantenho uma lista de restaurantes que pretendo conhecer, que muitas vezes é ignorada na hora de decidir onde vou. Por causa da mania de sempre comer os mesmos pratos e, principalmente, pelo medo de tentar algo novo e errar feio.

Não gosto de voltar para casa me perguntando “por que não fomos naquele outro, que gostamos tanto?”

Bom… chequei minha lista, e o tal de Dui não estava lá. Uma rápida pesquisa na internet me explicou por quê.

O Dui é o restaurante da chef Bel Coelho, badaladíssima pela juventude, pela experiência internacional e pela beleza estampada em ensaios sensuais publicados em várias revistas.

Acho que foi na Trip que vi um deles, exato momento em que decidi que não valia a pena experimentar a comida de quem parecia mais interessada em outro caminho.

Má impressão, julgamento precipitado, aceito as críticas. Se o que interessa num restaurante é a comida, que se experimente a comida.

Fui experimentar, então.

O Dui é um lugar muito bonito, sofisticado, bem decorado. É um desses restaurantes em que parece que estamos em outro país. Tem três ambientes, com diferentes propósitos.

Desde o manobrista, passando pela pessoa que nos recebeu na porta e chegando ao garçom que nos atendeu, o serviço é muito bom.

A análise sobre a comida, obviamente, é pessoal.

O cardápio reflete as várias experiências internacionais da chef, o que resulta em pratos “modernos”, que em vários casos precisam de tradução.

Fui no que me assustou menos: medalhões de filé mignon ao vinho tinto, com legumes. Pedi a carne ao ponto, passou um pouquinho, mas estava bem gostoso.

Minha mulher escolheu um peixe, um robalo, que infelizmente não tinha. Acontece. A segunda opção foi um arroz de camarão que estava “bom”, não “muito bom”.

Conclusão: de nenhuma maneira podemos dizer que não comemos bem no Dui. Mas saímos com a impressão de que o lugar é mais legal do que a comida.

Para saber se foi só impressão, voltaremos.

ATUALIZAÇÃO, segunda-feira 17/5, 07h52 – Faltou falar da sobremesa, que, essa sim, estava ótima. Tanto o meu sorvete de gianduia quanto o suflê de chocolate com sorvete de avelã de minha mulher.


%d blogueiros gostam disto: